Procurar a identidade através das imagens: I don't live here anymore

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Marta Cordeiro

Keywords

identidade; corpo; Ugo Rondinone; imagem.

Resumo

O artigo procura contextualizar o humano enquanto “ser dividido” – entre a totalidade e a falta; entre corpo e mente - e discutir a ideia de identidade contemporânea enquanto projeto. Utiliza a hipótese de Paul Ricoeur relativamente a uma possível “identidade narrativa”, feita da mesmeidade e da ipseidade, e associa a construção identitária à construção da aparência/ corpo. Para isso, analisa os percursos de construção dos sujeitos na contemporaneidade. Discute o trabalho do artista plástico Ugo Rondinone, na série I Don´t Live Here Anymore (série de fotografias em que o rosto do artista é adicionado a corpos de modelos, retirados das imagens que circulam nos media) enquanto possibilidade de metáfora acerca da procura de construção da identidade e aponta as possibilidades da imagem enquanto motor de busca permanente dessa construção identitária.

Abstract 73 | PDF Downloads 23

Referências

Barthes, R. (1988). Retórica da Imagem. In Mitologias. Lisboa: Edições 70.
Barthes, R. (2006). A Câmara Clara. Lisboa: Edições 70.
Baudrillard, J. (1982). Para uma Crítica da Economia Política do Signo. Lisboa: Edições 70.
Bauman, Z. (1995). Life in Fragments – Essays in Postmodern Morality. Cambridge: Blackwell.
Bergson, H. (2001). A Evolução Criadora. Lisboa: Edições 70.
Bourdieu, P. (1984). Distiction: A Social Critique of the Judgement of Taste. USA: Routledge & Kegan Paul Ltd.
Deleuze, G., Guattari, F. (1992). Percepto, Afecto e Conceito. In O que é a Filosofia? Lisboa: Editorial Presença.
Elkins, J. (1996). The Object Stares Back. On the Nature of Seeing. New York: Simon & Schuster.
Featherstone, M. (1991). The Body in Consumer Culture. In M. Featherstone, M. Hepworth & B. Turner (Eds.), The Body: Social Process and Cultural Theory. London: Sage Publications.
Foucault, M. (2007). Isto Não é um Cachimbo. São Paulo: Paz e Terra.
Giddens, A. (2001). Modernidade e a Identidade Pessoal. Oeiras: Celta.
Grice, H.P. (1941). Personal Identity. In G. Moore (Ed.), Mind. London: Macmillan&Co.
Groz, E. (1995). Space Time and Perversion. Essays on the Politics of Bodies. New York & London: Routledge.
Husserl, E. (1935). A Crise da Humanidade Europeia e a Filosofia. LusoSofia. Disponível em http://www.lusosofia.net/textos/husserl_edmund_crise_da_humanidade_europeia_filosofia.pdf.
Janus, E. (1998). Ugo Rondinone. Artforum. Disponível em http://findarticles.com/p/articles/mi_m0268/is_3_37/ai_53286434/.
Krauss, R. (1999). Gestalt. In Y-A. Bois, R. Krauss, Formless. A User´s Guide. New York: Zone Books.
Mitchell, W. J. T. (1995). Picture Theory. Chicago: The University of Chicago Press.
Mondzain, M-J. (2010). Le Lieu des Images. In E. Alloa (Ed.), Penser L´Image. France: Les Presses du Réel.
Nietzsche, F. (2005). Dos que Desprezam o Corpo. In Assim falava Zaratrustra. São Paulo: Martin Claret.
Platão (1986). O Banquete. Lisboa: Guimarães Editores.
Platão (2001). Fédon. Lisboa: Lisboa Editora.
Pline L´Ancient (1985). Histoire Naturelle. XXXV. Paris : Les Belles Lettres.
Ricoeur, P. (1991). O Si Mesmo como Outro. São Paulo, Papirus.
Steiner, G. (2015). Dez Razões (Possíveis) para a Tristeza do Pensamento. Lisboa: Relógio d´Àgua.
Weber, M. (1978). Economy and Society. California: University of California Press.