Fontes de Stress Ocupacional em Professores do Ensino Básico e Médio em Moçambique, Brasil e Portugal Uma Revisão Sistemática de Literatura

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Gildo Aliante
Mussa Abacar

Keywords

occupational stress, teachers, primary school, secondary school

Resumo

O professor desempenha um papel crucial na implementação das políticas públicas educativas (currículos, objectivos, metas educacionais). Ainda assim, este é frequentemente
sujeito a trabalhar em situações precarizadas e nocivas à sua saúde mental, física e psicológica, o que leva a ocorrência de stress ocupacional e ao esgotamento profissional. Vários estudos têm sido realizados em diferentes contextos para identificar os potenciais preditores do stress no trabalho docente. Este artigo de revisão de literatura visa identificar as fontes de stress ocupacional em professores do ensino básico e médio em Moçambique, no Brasil e em Portugal. Foram analisados 28 estudos que abordam as fontes de stress ocupacional em professores do nível básico e médio, sendo 18 estudos realizados no Brasil, 5 em Moçambique e igual número em Portugal. Os resultados indicam que o stress ocupacional é um problema que afecta os professores nos três países, sendo as causas comuns e mais apontadas nos estudos analisados as seguintes: sobrecarga de trabalho, indisciplina e mau comportamento de alunos, maior número de alunos/sala, desinteresse pela aprendizagem e desmotivação de alunos, seguidos de salários e remunerações baixos,
condições precárias e inadequadas de trabalho docente, e relacionamento com os pais e família dos alunos. Estas situações implicam um repensar sobre o ensino nos países estudados, o que sugere que este deve ser um trabalho ergonomicamente desenhado, o que pressupõe a aplicação de teorias, modelos, leis e dos métodos da ergonomia no  contexto educativo.

Abstract 583 | PDF Downloads 834