A conexão da cultura e identidade africana com o turismo

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Bumba Manuel de Castro

Keywords

cultura, África, identidade, Agenda 2063, turismo

Resumo

A mundividência das comunidades africanas, de valorização da interdependência num contexto de sincretismo, miscigenação e hibridação cultural está intimamente ligada aos valores atuais que o turismo apregoa. A reflexão que se apresenta tem como objetivo contribuir na consolidação da narrativa factual de conexão entre a cultura e turismo e sustentar a necessidade do continente africano reconfigurar a sua identidade cultural para conectar-se melhor com a atividade turística. Para o efeito, foi efetuada uma análise e revisão da literatura e procedeu-se a sintetização de conteúdos de livros e artigos científicos relacionados com as palavras-chave, onde se concluiu que a afirmação de África como ator relevante universal passa por projetar a sua própria trajetória, sendo o turismo um instrumento fundamental para essa afirmação.

Abstract 330 | pdf Downloads 248

Referências

Acemoglu, D. & Robinson, J. (2013). Porquê falham as nações (10ª ed.). Lisboa: Círculo de leitores.
Burns, P. & Novelli, M. (2006). Tourism and social identities. Global frameworks and local realities. Amsterdam: Elsevier.
Comissão da União Africana. (2013). Agenda 2063. A África Que Queremos. Addis Abeba: União Africana.
Bursztyn, I.; Bartholo, R. & Delamaro, M. (2009). Turismo para quem? Sobre caminhos de desenvolvimento e alternativas para o turismo no Brasil. In R. Bartholo, D. Sansolo, & I. Bursztyn. (Orgs.), Turismo de base comunitária. Diversidade de olhares e experiências brasileiras (pp. 76-91). Rio de Janeiro: Letra e imagem.
Castro, B. (2019). Património cultural e a reabilitação urbana. Um caminho para o desenvolvimento do turismo em cidades históricas. A especificidade do Dondo. Lisboa: Lisbon International Press.
Cunha, L. (2013). Economia e Política do Turismo (3ª edição). Lisboa: Lidel.
Diop, D. (2012). África: Passado e Futuro da Humanidade. In M. Makgoba (Org.), Renascença Africana. A Nova Luta (pp. 37-44). Lisboa: Pedago.
Figueira, V & Dias, R. (2011). A responsabilidade social no turismo. Lisboa: Escola.
Goeldner, C. & Ritchie, B. (2006). Tourism Principles, Practices, Philosophies (10ª edição). New Jersey: John Wiley & Son.
Harari, Y. (2018). Sapiens: História Breve da Humanidade (16ª edição). Amadora: Elsinore
Harvey, D. (2011). O Enigma do Capital e as Crises do Capitalismo. Lisboa: Bizâncio.
Krippendorf, J. (2009). Sociologia do turismo. Para uma nova compreensão do lazer e das viagens (2ª Edição). São Paulo: Aleph.
Makgoba, M.; Shope, T. & Mazwai, T. (2012). Introdução. In M. Makgoba (Org.), Renascença Africana. A Nova Luta (pp. 13-24) Lisboa: Edições.
Thiong’o, N. (1986). Descolonising the mind. The politcs of language en african literature. Londres: James Curry.
Ntuli, P. (2012). O Elo em Falta entre a Cultura e a Educação. Estaremos ainda a Perseguir Deuses que não nos pertencem? In M. Makgoba (Org.), Renascença Africana. A Nova Luta (pp. 229-245). Lisboa: Pedago.
Prah, K. (2012). Renascença Africana ou Senhores da Guerra. In M. Makgoba (Org.), Renascença Africana. A Nova Luta (pp. 73-98). Lisboa: Pedago.
Richards, G. (2005). The scope and significance of cultural tourism. In Association for Tourism and Leisure Education and Research, Culture and Tourism in Europe (pp. 21-38). Acedido de http://www.atlas-euro.org.
Sardo, A. & Estevão, J. (2012). O turismo cultural como maximizador dos benefícios económicos do turismo. In R. Jacinto (Coord.), Patrimónios, Territórios e Turismo cultural. Recursos, Estratégias e Políticas (pp. 441-462). Lisboa: Âncora.
Taylor, C. (1998). A política do reconhecimento. In Epistemologia e Sociedade, Multiculturalismo. Examinando a política do reconhecimento (pp. 45-94). Lisboa: Instituto Piaget.
Teye, V. (2009). Tourism and Africa’s tripartite cultural past. In D. Timothy & G. Nyaupane. (Eds.), Cultural heritage and tourism in the developing world: a regional perspective (pp. 165-185). New York: Routledge.
Toselli, C. (2019). Turismo, património cultural y desarrollo local. Evaluación del potencial turístico de aldeas rurales en la provincia de Entre Ríos, Argentina. Revista Pasos, 17 (2), 343-361.
Urry, J. (2001). O olhar do turista. Lazer e viagens nas sociedades contemporâneas. São Paulo: Studio Nobel.
Wilson, E. (2013). A conquista da terra. Lisboa: Clube do Autor.
Zaoual, H. (2009). Do turismo de massa ao turismo situado. Quais as transições? In R. Bartholo, D. Sansolo. & I Bursztyn (Orgs.), Turismo de base comunitária. Diversidade de olhares e experiências brasileiras (pp. 55-75). Rio de Janeiro: Letra e imagem.