Projecto de ensino-aprendizagem do português como língua estrangeira O Canto do Mar, UW-Milwaukee

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Maria Otília Pereira Lage https://orcid.org/0000-0003-2776-4353

Keywords

Ensino-aprendizagem do português; O Canto do Mar; Jornal académico; Projeto Pedagógico; Lusofonia; Língua e Cultura Portuguesa; Multiculturalidade.

Resumo

Este artigo apresenta a descrição sucinta, recensão crítica e leitura analítica do periódico anual O Canto do Mar: jornal criativo em Língua Portuguesa” da UW-Milwaukee, (nºs 1-4, 2017-2020), cuja criação e produção resultam de um processo de ensino-aprendizagem colaborativo, metodologias pedagógicas ativas/ participativas e modelo curricular de investigação-ação inovador da estrutura académica letiva convencional. Para além da introdução e notas finais que enquadram e explicitam globalmente essas temáticas, o presente texto desenvolve-se em duas seções articuladas numa aproximação transversal aos tópicos centrais abordados: O Canto do Mar…, jornal em português da Lusofonia e o Projeto sócio-educativo polifacetado que o orienta. É seu objetivo principal a divulgação ampla desta revista, a nível internacional e no âmbito do mundo Lusófono, contextos espácio-temporais que a enformam, e cuja análise se faz, num enquadramento conceptual transdisciplinar,
em adequação a esta publicação de vocação multicultural.

Abstract 266 | PDF Downloads 144

Referências

Antunes, L. Maria Susana (2017). Algumas palavras de abertura. O Canto do Mar. Ed. University of Wisconsin-Milwaukee, nº1, p.2-4.
Antunes, L. Maria Susana (2018). Língua portuguesa: uma paixão que nos une. O Canto do Mar. Ed. University of Wisconsin-Milwaukee, nº3, p.6.
Barros, Patrícia Torres de (2012). A investigação-ação como estratégia de supervisão/ formação e inovação educativa: um estudo de contextos de mudança e de produção de saberes. Braga, Universidade do Minho-Instituto de Educação. (Tese de doutoramento em Ciências da Educação).
Brody, Celeste M.; Davison, Neil. Professional Development for Cooperative Learning: Issues and Approaches. SUNY Press, 1998.
Cohen, E. G. (1994). Designing Groupwork: Strategies for the Heterogeneous Classroom (2nd ed.). NY: Teachers College Press.
Coutinho, C. P., et al. (2009). Investigação‐acção: metodologia preferencial nas práticas educativas. Revista Psicologia, Educação e Cultura, 13:2, pp. 355- 379.
Deleuze Gilles; Guattari, Félix (1991). Qu’est-ce que la Philosophie ? Paris, Les Éditions de Minuit.
Ferreira, Paula (2008). A utilização da metodologia de Investigação-Ação na intervenção social: uma reflexão teórica. Intervenção Social, nº 32-34, p. 215-236.
Filho, Luís (2017). Introdução. O Canto do Mar. Ed. University of Wisconsin-Milwaukee, nº1, p.5-6.
Freire, Paulo (2002). Pedagogia da autonomia. São Paul, Paz e Terra.
Gama, Sebastião (2011). Diário. Obras Completas de Sebastião da Gama. Lisboa, Editorial Presença, vol.I. O Canto do Mar: jornal criativo em língua portuguesa (nº1, 2017; nº2, 2018; nº3, 2019; nº 4, 2020). Ed. University of Wisconsin-Milwaukee/Departement of Spanish and Portuguese, S&P.
Disponível em https://uwm.edu/spanish-portuguese/media/o-canto-do-mar/.
Perez-Poch, Antoni (2019). Análisis del impacto de metodologías activas en la educación superior. Barcelona: Universitat Politècnica de Catalunya.Tesis Doctoral.
Perez-Poch, A., et al. (2019). Cooperative Learning and Embedded Active Learning Methodologies (R) for Improving Students’ Motivation and Academic Results. International journal of engineering education. Vol.35(6), p.p. 1851-1858.
Pessoa, Fernando (1959). Mensagem. Poema X Mar Português. Lisboa, Ed. Ática.
Rodríguez Casado, Mª Rocío e Rebolledo Gámez, Teresa (2017). Evaluación de metodologías participativas: una experiencia en el âmbito universitário. Revista de Humanidades, 31. p.p.99-121.
Sanches, I.. (2005). Compreender, agir, mudar, incluir. Da investigação-acção à educação inclusiva. Revista Lusófona de Educação, 5, p.p. 127-142.
Scarpato, Marta (2017). A livre expressão na Pedagogia Freinet. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 12, n. esp. 1, p.p.620-628. Disponível em .
Sharan, Yael (2014). Learning to cooperate for cooperative learning. Anales de Psicología, 30, (3) p.p. 802-807. Murcia, Universidad de Murcia.Disponivel em http://dx.doi.org/10.6018/analesps.30.
Sharan, Yael and Sharan, S. (1992). Expanding Cooperative Learning through Group Investigation.NY, Teachers College Press.
Stenhouse, L. (1975). An introduction to curriculum research and development. London, Heinemann.
Zhang, Hanzi (2015). Investigação-ação das necessidades no ensino do português para fins específicos:o caso do público chinês em Portugal. Universidade de Lisboa-Faculdade de Letras. Dissertação de Mestrado em Língua e Cultura Portuguesa. Disponível https://repositorio.ul.pt/handle/10451/20325.