A dança que nos escapa o instante da presença

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Mônica Medeiros Ribeiro

Keywords

Dança; improvisação; presença; instante.

Resumo

Este texto apresenta uma reflexão sobre o estado de presença experimentado pelo sujeito na improvisação em dança. Com o objetivo de pensar acerca da condição efêmera desse fazer artístico, por meio de uma revisão da literatura e da fruição de obras coreográficas, discute-se a dança como pensamento-sentimento do corpo e sua relação com a presença do sujeito no instante da improvisação inventiva.

Abstract 63 | PDF Downloads 21

Referências

Badiou, A. (1993). Danse et penseé. Paris: Université Paris VIII.
Bardet, M. (2014). A filosofia da dança: encontro entre dança e filosofia. São Paulo: Martins Fontes.
Damásio, A. (1996). O Erro de Descartes – emoção, razão e o cérebro. São Paulo: Companhia das Letras.
Damásio, A. (2010). O livro da consciência: a construção do cérebro consciente. Portugal: Temas e Debates-Círculo de Leitores.
Dewey, J. (2008). El arte como experiencia. Barcelona, Espanha: Paidós estética 45. (Publicado originalmente em 1934).
Gallese, V. (2010). Mirror neurons and Art. Retrieved from: https://www.researchgate.net/publication/284661288_Mirror_neurons_and_art
Hissa, C. E. V. (2017). Entre. In: Silva, M. I. S. & Moreira, M. E. R. (Org.), Literatura: espaço fronteiriço. Colatina; Chicago: Clock Book.
Hissa, C. E. V. & Ribeiro, M. M. (2017). Saber sentido. Conceição/Conception, 6(2), 90-109.
Jaques-Dalcroze. E. (1921). Rhythm, Music And Education. London: Chato &Windus.
Katz, H. (1994). Um, Dois, três: a dança e o pensamento do corpo. (Tese Doutorado em Comunicação e Semiótica). PUC/SP, São Paulo.
Laban, R. (1978). Domínio do movimento. São Paulo: SUMMUS.
Louppe, L. (2012). Poética da dança contemporânea. Lisboa: Orfeu Negro.
Nancy, L. (2008). Corpus. New York: Fordham University Press.
Ribeiro, M. M. & Agar, F. (2011). The empathy and the structuring sharing modes of movement sequences in the improvisation of contemporary dance. Research in Dance Education, v. 12, p. 71-85.
Ribeiro, M. M. (2012). Corpo, Afeto e Cognição na Rítmica Corporal de Ione de Medeiros: Entrelaçamento entre Ensino de Arte e Ciências Cognitivas. (Unpublished Tese de Doutorado em Artes). Escola de Belas Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.
Ribeiro, M. M. (2015). Experiencia de improvisação em dança. Pós, v.5, n.10, p.162-172.
Sasportes, J. (1980). Pensar a dança: a reflexão estética de Mallarmé a Cocteau. Lisboa: Coleção arte e artistas.
Scheets-Johnstone, M. (1999). The primacy of movement. Philadelphia, John Benjamins Publishing Company.
Sheets-Johnstone, M. (2011). Fenomenologia da Dança. Entrevista concedida a Monica Alarcón. Tradução de Charles Feitosa. O Percevejo, v.03, n° 02.
Testa, L. (2011). Que corpo é este que dança a imagem do pensamento? Alegrar, n°7.
Valery, P. (2012). Degas dança desenho. São Paulo: Cosac Naify. (Publicado originalmente em 1938).