A presença da oralidade na literatura estudo de crônicas de Luís Fernando Veríssimo

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Ana Maria Urquiza de Oliveira

Keywords

diálogo construído; gênero discursivo; oralidade na literatura.

Resumo

Através de análises às crônicas de Luís Fernando Veríssimo, este trabalho visa discutir a relação entre língua falada e língua escrita, mostrando e valorizando suas semelhanças e particularidades, defendendo uma relação não mais dicotômica (Marscuschi, 2001); com o intuito de estudar as marcas da oralidade na escrita presente na literatura com referencial em Luiz Antônio (2009), Dino Preti (2004) e Hudinilson Urbano (2000). Observar-se-á os diálogos construídos que dão maior sustentáculo à representação da realidade aos textos literários.

Abstract 1391 | PDF Downloads 927

Referências

Bechara, E. (2001). Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 37.ª edição.
Cunha, C. (2009). Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro: Lexikon.
Hilgert, G. (2000). A construção do texto “falado’ por escrito: a conversação na internet. In Dino Preti (Org.). Fala e escrita em questão (p. 17-55). São Paulo: Humanitas,.
Marcuschi, L. A. (1986). Análise da conversação. São Paulo: Ática.
Marcuschi, L. A. (2001). Da fala para a escrita: atividades de retextualização. São Paulo: Cortez.
Preti, D. (2004). Estudos de língua oral e escrita. Rio de Janeiro: Lucerna.
Silva, L. A. (2009). Oralidade em contos. In Dino Preti. Oralidade em textos escritos (p. 151-187). São Paulo: Humanitas.
Urbano, H. (2000). Oralidade na literatura: o caso Rubem Fonseca. São Paulo: Cortez.
Urbano, H. (2006). Usos da linguagem verbal. In Dino Preti (Org.). Oralidade em diferentes discursos (p. 19-55). São Paulo: Humanitas.
Veríssimo, L. F. (1998). O Nariz & outras crônicas. São Paulo: Ática.
Veríssimo, L. F. (1994). Comédias da vida privada: 101 crônicas escolhidas. Porto Alegre: L & PM.
Veríssimo, L. F. (2001). Comédias para se ler na escola. Rio de Janeiro: Objetiva.