A preparação didáctico-metodológica dos professores primários para o ensino do Português em Moçambique estudo de caso no IFP de Nampula, 2017

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Feliciano José Pedro https://orcid.org/0000-0002-9342-080X

Keywords

Didáctica de línguas, Língua Oficial, Língua Materna, Lingua segunda, Língua estrangeira

Resumo

O Português é língua oficial de Moçambique desde 1975, contudo, nem todos os moçambicanos têm a mesma relação com língua portuguesa. Segundo dados do Censo de 2017, apenas 47.4% da população fala Português e mais da metade da população moçambicana não fala esta língua. Para cerca de 12 milhões de moçambicanos, residentes na zona rural, o Português poderia ser considerado como língua estrangeira (LE). Mas, devido à conjuntura histórico-social que determina o português como língua oficial, o estatuto de LE, para este grupo de cidadãos, não é aplicável, valendo apenas o de língua segunda (LS). Segundo afirma Vigner (2001), do ponto de vista de ensino/aprendizagem, a LS é uma prática instável e delicada pois ela situa-se na mediana entre Língua Materna (LM) e LE. Dependendo da actividade, as práticas de ensino de LS podem ser
emprestadas à LM ou à LE. Este estudo tem por objectivo analisar o processo de formação de professores primários em matérias de ensino do Português. Especificamente, pretende verificar o nível de preparação para fazer face à diversidade dos contextos (de alunos e dos estatutos que o português tem nas suas biografias linguísticas). Em termos metodológicos, o estudo é qualitativo e descritivo. Os dados são resultantes da análise do programa de formação e de questionários aos formadores de metodologia de Língua Portuguesa e aos formandos do Instituto de Formação de Professores de Nampula. As conclusões deste estudo apontam que os módulos focalizam mais aspectos políticos em prejuízo de aspectos didácticos e que os formadores e, consequentemente, os formandos fixam-se muito nas propostas dos módulos, apesar de estes servirem como simples documentos orientadores.

Abstract 43 | PDF Downloads 27

Referências

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Lisboa : Edições 70.
Cambra Giné, M. (2003). Une approche ethnographique de la classe de langue. Paris : Didier.
Cuq, J. P. (Ed). (2003). Dictionnaire de didactique du français langue étrangère et seconde. Paris : CLE International.
Cuq, J. P. e Grucca, I. (2005). Cours de didactique du français langue étrangère et seconde. Grenoble : PUG. Firmino, G. (s/d). A situação do português no contexto multilingue de Moçambique.
Instituto Nacional de Estatística. (2010). Dados do Recenseamento Geral da População 2007. Maputo.
Galisson, R & Coste, D. (1983). Dicionário de didáctica de Línguas. Porto: Livraria Almerdina.
Grosso, M. J. (2004, Março). O ensino e aprendizagem de uma língua à falantes de outras línguas. Comunicaçao apresentada no 3º Congresso de Português Língua Não Materna. ESE Lisboa, Portugal.
Mackey, W.F. (1992). Mother tongues, other tongues and link languages: What they mean in achanging world. Prospects, 22, 41–52.
Mauze, X. H. (2017). IV Recenseamento Geral da População e Habitação, 2017, Resultados Definitivos – Moçambique. Maputo: Instituto Nacional de Estatística.
Ngunga, A. & Bavo, N. N. (2011). Práticas linguísticas em Moçambique: Avaliação da vitalidade linguística em seis distritos. Maputo : Centro de estudos africanos.
Ngunga, A. (2012). Interferências de línguas Moçambicanas em português falado em Moçambique. Revista científica da Universidade Eduardo Mondlane, 1 (0), 7 – 20.
Kwofie, E. N. (2004). La diversité du français et l’enseignement de la langue en Afrique. Paris : L’Harmattan et AUF.
Santos, M. A. (2012). Do outro lado do espelho. Português como língua segunda na educação pré-escolar (Dissertação de Mestrado). Escola Superior de Educação, Coimbra, Portugal.
Dos Santos, T. M. L. (2009). O Português Língua não Materna: Metodologias de Ensino/ Aprendizagem (Tese de Doutoramento). Universidade da Beira Interior, Covilhã, Portugal.
Sim-Sim, I, Duarte, I & Ferraz, M. J. (1997) – A língua materna na educação básica: Competências nucleares e níveis de desempenho. Lisboa: Ministério da Educação.
Stern, H. H. (1983). Fundamental Concepts of Language Teaching: Historical and Interdisciplinary Perspectives on Applied Linguistic. Oxford: Oxford University Press
Vigner, G. (2001). Enseigner le français comme langue seconde. Paris : CLE Internationa.