A Criatividade da Língua Portuguesa: Estudo de Moçambicanismos no Português de Moçambique

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Rajabo Alfredo Mugabo Abdula

Keywords

variação lexical, língua portuguesa, moçambicanismos

Resumo

Este trabalho é uma reflexão acerca da língua Portuguesa em Moçambique. Para além do português, que é a única língua oficial, o país dispõe de muitas outras línguas. Por causa do contato entre o português e essas línguas, sobretudo as do grupo linguístico bantu, o português falado no país vai criando suas marcas de identidade. O objetivo deste estudo é o de identificar as principais áreas de influências das línguas bantu sobre o português, através do uso do método bibliográfico. A partir da pesquisa, concluiu-se que há uma influência mútua entre o português e as línguas do grupo linguístico bantu. Assim, os neologismos e os empréstimos são uma marca de identidade do português de Moçambique. Além disso, há influências das línguas bantu sobre o português nos níveis fonético, fonológico e lexical.

Abstract 39 | PDF Downloads 73

Referências

Abdula, Rajabo Alfredo Mugabo.2014. Marcas de Influência do Echúwabo no Português de Moçambique: a questão dos verbos nas redes sociais. 117p., (Dissertação de Mestrado), Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara.
Aguilera, Vanderci de Andrade. 2008.Crenças e atitudes linguísticas: o que dizem os falantes das capitais brasileiras. Estudos Linguísticos (São Paulo), v. 37, nº 2 p. 105-112. Disponível em: . Acesso em: 12 set. 2012.
Alves, Ieda Maria.2007. Neologismo: criação Lexical. 3.ed. São Paulo: Ática.
Baccega, Maria Aparecida.2007. Palavra e discurso: história e literatura. São Paulo: Ática.
Bagno, Marcos.2004. Cassandra, fênix e outros mitos. In: Faraco, Carlos Alberto. (Org.). Estrangeirismos: guerra em torno da língua. São Paulo: Parábola, p. 47-83.
Barbosa, Maria. Aparecida.1996. Léxico, produção e criatividade. São Paulo: Plêiade.
Boulanger, Jean-Claude.1989. L'évolution du concept de Neologie de la linguistique aux industries de la langue. In: Schaetzen, Caroline de. (Org.) Terminologie anachronique. Paris: Conseil Internacional de la Langue Française, p.193-211.
Cabello, Ana Rosa. Gomes.1991. Gíria e Neologismo: convergências e divergências. Anais do XXXVIII Seminário do GEL, Franca-SP: UNIFRAN, p. 229-332.
Câmara JR. Joaquim Mattoso. 1981.Dicionário de linguística e gramática. Petrópolis: Vozes.
Calvet, Louis-Jean. 2002.Sociolinguística. Uma introdução crítica. São Paulo: Parábola.
Cardoso, Suzana Alice Marcelino.1991. Empréstimos: Uma Questão Linguística e/ou Político-Cultural? Revista Internacional de Língua Portuguesa. nº 5/6, p. 9-17.
Carvalho, Nelly.2009. Empréstimos linguísticos na língua portuguesa. São Paulo: Cortez.
Crystal, David.2005. A revolução da linguagem. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.
Cunha, Celso; Cintra, Lindley.1990. Nova Gramática do Português Contemporâneo. 7ed., Lisboa: João Sá da Costa.
Dias, Hildizina Norberto.1990. Línguas e Mudanças Sociais: Algumas Reflexões sobre o caso de Moçambique. Revista Internacional de Língua Portuguesa, nº 8, p. 96-100.
Firmino, Gregório.2005. A questão linguística na África pós-colonial: o caso do português e das línguas autóctones em Moçambique. Maputo: Promédia.
Galisson, Robert; Coste, Daniel.1983. Dicionário de didática das línguas. Coimbra: Livraria Almedina.
Gonçalves, Perpétua.2012. Lusofonia em Moçambique: com ou sem glotofagia? Comunicação apresentada no II Congresso Internacional de Linguística Histórica. Homenagem a Ataliba Teixeira de Castilho. São Paulo.
_____.2000. (Dados para a) História da Língua Portuguesa em Moçambique. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. de 20117.
_____.1990.A construção de uma gramática do português em Moçambique: aspectos da estrutura argumental dos verbos. Tese de Doutoramento, Universidade de Lisboa.
Inde/Mined.2003. Programas das disciplinas do 3º Ciclo: Ensino Básico. Maputo: Academia Lda.
Kehdi, Valter.2007. Formação de Palavras em Português. 4ed., São Paulo: Ática.
Leray, Christian.2003. A Língua como Vetor Identitário: o caso particular do gaulês na Bretanha. In: Coracini, Maria José. (Org.). Identidade e Discurso. Campinas: Ed. Universitária Argos. p. 119-136.
Martinet, André.1971. Elementos de Linguística Geral. Rio de Janeiro: Martins Fontes.
Mendes, Irene.2010. Da Neologia ao Dicionário: o caso do Português de Moçambique. Maputo: Texto Editores.
Namburete, Eduardo.2006. Língua e Lusofonia: A Identidade dos que não Falam Português. in: Bastos, Neusa Maria. (Org.) Língua portuguesa: reflexões lusófonas. São Paulo; PUC-EDUC, p.63-74.
Ngom, Fallou. 2000. Sociolinguistic motivatons of lexical borrowings in Senegal. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2017.
Ngunga, Armindo.2012. Interferências de Línguas Moçambicanas em Português falado em Moçambique. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2017.
Ngunga, Armindo.2004. Introdução à Linguística Bantu. Maputo: Imprensa universitária.
Sandmann, Antônio José.1997. Morfologia lexical. São Paulo: Contexto..
Silva Neto, Serafim da.1988. História da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro. Presença Edições.